Como você trata a marca de sua empresa como empregadora?

95403903

To our brazilian friends.

Quando a gente pensa em marca, logo algumas delas vêm à nossa mente. Normalmente, as empresas mais próximas ao nosso cotidiano, especialmente as que nos trazem um apelo emocional mais forte. Ligamos-nos muito fortemente a elas, especialmente quando a relação de consumo é duradoura.

Agora, o que muita gente ainda não se dá conta, é que a marca tem uma segunda percepção importante a ser avaliada. E que deve ganhar cada vez mais força com o advento de ferramentas digitais que buscam maximizar esta exposição. A sua marca como empregadora, ou employer branding.

É muito diferente a percepção de uma marca quando comparamos a relação de consumo com a relação empregatícia? E a resposta conveniente é… Depende.

Em alguns casos, marcas têm desenvolvido ótimos trabalhos nas duas frentes. Excelente exposição na abordagem à figura do cliente e também à figura do candidato (Que, diga-se de passagem, é a mesma pessoa em boa parte do tempo)

Mas nem sempre funciona desta forma. Muitas empresas simplesmente se esquecem de evidenciar seus atributos como empregadora e se dividem em alguns grupos:

– As empresas completas – As que mencionamos há pouco. Buscam organizar-se de maneira a preservar sua imagem junto a clientes,  atuais e potenciais colaboradores (Grupo ainda pequeno, com tendência de crescimento)

– As empresas voltadas ao mercado – Aquelas que possuem estratégias voltadas exclusivamente ao cliente e apostam neste apelo de marca para atrair seus profissionais. (Ainda o maior grupo)

– As empresas voltadas ao colaborador – Aquelas que possuem estratégias voltadas mais fortemente ao colaborador, sem grande capacidade (ou necessidade) de trabalhar a marca junto ao target de clientes. Normalmente empresas de B2B e bastante segmentadas (Grupo pequeno, sem grande perspectiva de alteração)

A tendência é ter o grupo de empresas voltadas ao mercado migrarem ao grupo de empresas completas e, cada vez mais, buscarem alternativas para melhor tratar seus colaboradores atuais e potenciais.

No que diz respeito à atração de profissionais, um risco que se corre atualmente é o uso indiscriminado de redes sociais e profissionais, sem o devido tratamento posterior.

Associar sua marca a um processo de atração organizado de potenciais talentos, com uma mensagem clara sobre os valores e vantagens da empresa é muito positivo. O segredo é o tratamento posterior.

Estas pessoas são contatadas? São entrevistadas e avaliadas? Por quem?

Como são tratadas após este estímulo? A empresa tem condições de manter relacionamento com este grupo e evitar frustrações?

Muitas podem arriscar até sua boa imagem no que diz respeito à relação de consumo por um trabalho mal executado enquanto marca empregadora, na hora de atrair profissionais. Portanto, use as ferramentas de atração sempre associada as outras ferramentas que colaborem com as etapas posteriores à atração.

Uma avaliação prévia por telefone, um feedback bem fornecido, bem como novas interações futuras com estes grupos são ações fundamentais para que a percepção de sua marca como empregadora se cristalize.

Não esqueça: TUDO COMUNICA. O que sua empresa fala no mercado, seja qual for o objetivo, pode implicar em melhora ou piora de sua percepção de marca.

Sergo Sabino é Diretor de Marketing do PageGroup para a América Latina

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s